“Vivemos esperando o dia em que seremos melhores. Melhores na dor, melhores no amor, melhores em tudo.”

Pensei em parar de escrever por algum tempo, até tudo resolver-se e voltar ao normal. Minha tristeza envolve meus dias, meus versos, palavras... A música que embala meus sonhos, já não é a mesma de antes.
Devo ser forte. Mas ás vezes a fraqueza toma meu coração e me transforma em lágrimas. Lágrimas sinceras, de dor, de amor.
Eu estou triste a tal ponto que não consigo concentrar-me em nada. Amor, eu te amo.
E nessa semana eu descobri que amo você de verdade, muito mais do que falo. Muito mais que meu coração diz.
Acho que nada é por acaso, mas não acredito em destino. Cética? Sim!
Era tão cética ao ponto de não crer no amor entre homens e mulheres. Mas agora eu vi que existe sim e que eu amo você.
Eu poderia morrer se você me deixasse aqui, sem sua presença. E é sério! Você é tudo na minha vida.
Amor, enquanto você não estiver bem... Eu não conseguirei escrever.
Você é a minha inspiração. Quem me dá forças para seguir em frente, quem me abraça quando estou com frio e triste. Você é a minha fortaleza.
E agora eu descubro que princesas ás vezes tem que serem fortes para seus príncipes.
São elas que cuidam deles quando se machucam, elas dão forças, apesar de terem seus corações chorando por dentro.
Princesas também choram, sofrem, sorriem, mesmo nada estando certo.
Agradeço a Deus por ele ter devolvido a sua vida para mim. E saibas que nunca, nunca vou deixar você. Porque eu te amo de verdade, do fundo do meu coração.
Dias melhores estão por vir, e os planos de agora? Deixaremos você melhorar, e bem... Temos todo tempo do mundo!
Prometo tentar ser uma namorada maravilhosa e vamos vencer essa juntos!
Eu tenho certeza de que isso aconteceu para vermos se realmente nos amamos e se realmente queremos ficar juntos.



Read Users' Comments ( 0 )

Sem título.

Era uma noite de lua cheia, estava à espera daquela doce figura que envolvia minhas noites e meus dias. Encostado ao tronco perto do mar, este que refletia a imensa lua que havia no céu; peguei meu violão e comecei a dedilhar com o pensamento nela.
A noite estava tão perfeita que a vontade era de tê-la aos meus braços, sentir seu calor, sua voz em meu ouvido, seu coração bater rapidamente a cada beijo que nos envolvia.
Continuei a dedilhar notas por meu violão e cantarolar melodias de amor. Cada nota que tocava, lembrava-me dela. Seu sorriso, suas lágrimas ao ouvir-me tocar. Ou o modo como ela me pedia para abraçá-la quando estava com frio.
Acendi uma fogueira, armei minha barraca e ali na areia fiquei a olhar para as estrelas, talvez pensando em onde ela poederia estar, já que ali, perto de mim ela não estava.
Era mais um jovem apaixonado, um poeta sofredor, que mesmo com dor, continuava a buscar sua musa inspiradora. Entre lágrimas, sonhos, lembranças... Adormeci pensando em quando a encontraria novamente. Eu, um romântico, apaixonado, faria qualquer coisa para tê-la aos meus braços e a fazer dormir e sonhar como só os anjos de pura candura fazem.
Estava sentindo-me sozinho, mas as calorosas lembranças que tinha dela, faziam-me viver para esperar pela tal como eu sempre fazia.
Entre a fogueira, o mar, a lua e as estrelas; adormeci.
Eis que a jovem aparece com aquele vestido branco e leve como um anjo. Aquele sorriso doce... Ingênuo mas malicioso ao mesmo tempo, como somente ela sabia fazer. Ela puxou-me pelas mãos e saímos correndo pela praia. Como ela estava linda! Aquela pele branca e o ondulado de seus cabelos pela cintura, seus olhos negros; estes que ardiam com tamanha paixão deixavam-me cada vez mais apaixonado. Seu caminhar vagaroso e provocante deixava-me a desejá-la cada vez mais.
Corremos, estávamos felizes como antigamente. Brincamos como duas crianças, ou ainda como dois anjos no céu. Foi perfeito. Não parávamos de sorrir, nossos olhares diziam tudo. Não eram necessárias palavras. Amávamos-nos e isso era tudo, o mais profundo, o amor mais necessário, aquele onde não precisa ser entendido, porém sentido; sentido com o corpo, com a alma com o coração. Enfim... O amor era a única linguagem, o único meio de comunicação entre nós.
Deitamos na areia, exaustos. Continuamos a sorrir, ela estava com uma flor branca em seus cabelos, seus olhos serenos repentinamente tornaram-se tristes e uma lágrima escorreu por entre a tamanha perfeição de seu rosto.
Abracei-a com toda minha alma, não queria deixar que ela escapasse por entre meus dedos novamente e se isso acontecesse, choraria. Como um verdadeiro homem apaixonado chora quando perde sua alma gêmea.
Ela olhou-me novamente com aqueles olhos tristes e nos beijamos. Foi o melhor beijo que pude receber. Um beijo com amor, com ternura, um beijo doce, vagaroso, sem pressa de acabar. E por um minuto senti que éramos de dois, um só. O real e o sobrenatural lado a lado. Senti seu rosto frio indo embora vagarosamente deixando apenas uma brisa leve me envolver.
Acordei. E mesmo sabendo que ela estava entre as estrelas e com os demais anjos lá no céu, agradeci a Deus, por ter nos dado esse presente. Ao meu lado, próximo ao violão estava a flor branca que envolvia seus cabelos. E só então percebi que aquilo foi tão real, quanto parecia. Talvez vocês não acreditem em meu relato, mas estão as estrelas, a lua e o mar como meus cúmplices e prova.
Mesmo sabendo que aquele foi o nosso último beijo, ainda vou todas as noites na mesma praia, para ver se Deus poderia dar-me novamente aquele presente. Afinal, todo jovem apaixonado sempre tem esperança.


Read Users' Comments ( 0 )

Um café pode mudar vidas...


Era uma manhã qualquer de julho... O tempo estava fechado, com nuvens carregadas por todo o céu, mas eu tinha certeza de que não era apenas uma manhã qualquer de julho... Era a minha manhã de julho.
Saltos altos e casacões por todos os cantos, homens elegantes de terno e gravata no centro da cidade... E eu... Uma pobre garçonete de uma cafeteria... Argh me poupe! Essa não é a história da Cinderela.
Estou brincando... Não sou a garçonete, mas gostaria de ser... Pois ela consegue falar com ele todos os dias, e eu... Trabalho ao seu lado no Jornal. Mas não consigo arrancar um mero “Bom dia”.
Ele é perfeito... Acho que estou apaixonada, mas não posso me apaixonar por alguém que nem ao menos fala comigo, que nem me olha... Como se fosse fácil mandar no coração!
Sentei com meu notebook na mesa e pedi para a moça um cappuccino. Ele chegou na Cafeteria. Terno e gravata com um humor incrível...
Sem querer percebi que colocaram açúcar em seu café e ele é diabético.
Trouxeram meu cappuccino e o café dele. Seria minha chance?
Talvez... Saí com meu notebook nas mãos e sentei-me ao seu lado antes dele tomar o café.
-Desculpe-me, mas eu percebi que colocaram açúcar em seu café, e acho que você tem diabetes não é verdade?
-Nossa... Obrigada!
-De nada... – Peguei meu notebook e levantei.
-Ei, fique! Tome um café comigo. Me explique como você sabe que eu tenho diabetes?
-Claro... É que trabalho no jornal onde você trabalha.
-Sério? Como nunca a vi por lá?
-Eu trabalho a noite.
-Hum... E então, qual seu nome?
-Marina Iohen.
-Ouvi falar dos seus trabalhos como jornalista e você realmente mereceu a vaga no jornal, eu selecionei seu currículo. Pena que você não é muito valorizada.
-Nossa... Obrigada.
Até aí tudo ótimo... Mas eu virei café no terno dele...
-Ai, me desculpe!
-Meu terno... Bem eu posso trocar quando chegarmos no jornal.
-OK. Mas me desculpe... – Peguei um guardanapo e limpei sua gravata, tentei secar o café na verdade, quando ele pegou minhas mãos, foi se aproximando... E...
Bem, meu celular tocou. Atendi e recebi uma proposta de emprego incrível... Pagam super bem, vou entrevistar famosos, terei acesso VIP a festas, salão de cabelos, ganharei suuuper desconto nos shoppings... Então aceitei sem pensar!
-Tudo bem? – Ele me perguntou ao me ver desligar o telefone.
-Sim... Recebi uma proposta de emprego incrível do Jornal do Centro.
-Legal... E você aceitou não é?
-Sim!
-Bem, eu preciso ir... O trabalho me chama.
-Ele pegou sua colher, e passou no creme do cappuccino. Escreveu o número de seu telefone em cima do meu notebook e me beijou.
Eu sabia que aquela manhã de julho não era apenas mais uma manhã... Depois daquele ocorrido, achei que nunca mais veria meu jornalista preferido...
Mas graças ao café, até hoje nunca deixo de ir na cafeteria da esquina... Mas agora, com meu jornalista bonitão ao lado, para deixar qualquer garçonete morrendo de inveja!


Read Users' Comments ( 0 )

Ele...
Toc-toc-toc-toc-toc...
Ele colocava o travesseiro na cabeça, virava para o lado e tentava dormir...
Toc-toc-toc-toc-toc...
Novamente... Aqueles toc-tocs insuportáveis como em todas as manhãs... Não falhava nenhum dia. De segunda a segunda.
-Que saco! Em pleno domingo de manhã essa mulher de uma figa fica batendo perna dentro de casa... Ah vai pra p...
Tentou dormir novamente...

Ela...
-Será que estou bem com esse salto? Estou pensando em trocar por outro... –Ficou ela se olhando no espelho durante horas e horas... Do quarto ao banheiro, do banheiro para o quarto... Assim eram todas as manhãs...
-Ai... Acho que esse vestido não ficou bem no meu corpo... Como estou gorda! – E ela continuou de um lado para outro tentando ver no espelho enorme do banheiro as roupas que pegava no quarto.

Ele...
Eram quase 03h30min da madrugada. Ainda sem sono pegou logo uma lata de cerveja na geladeira, abriu e ficou assistindo o DVD de rock que havia ganhado de sua colega nova do jornal... Quase tomou todo o engradado de cerveja e tentou tocar guitarra a noite toda.

Ela...
-AI MEU DEUS! Será que esse cara idiota não vai parar de enrolar nessa guitarra. Pô... TIPO... O cara não sabe tocar nada! Fica só fazendo barulho... E eu preciso dormir! AAAAAAAAAAAAAAAH! Amanhã vou estar com duas olheiras enooormes... Ainda mais na frente do cara mais gostoso que eu já conheci... Eu não agüento ser vizinha de um ogro! – Ficou ela resmungando tentando dormir com um travesseiro no rosto e fones de ouvido.

Ele...
Acordou com um bafo horrível e quase atrasado...
-É hoje... Vou ter que me declarar para a mulher mais linda do mundo...
Arrumou-se, tomou um banho e dessa vez nem se importou com os “toc-tocs” da vizinha chata. Ele estava apresentável.

Ela...
Chegou ao jornal toda empolgada...
-Ai meu Deus! Ele está vindo em minha direção...

Ele...
-Ela está linda...
-Oi Sarah! – Disse ele.
-Oi Felipe!
-Sarah... Eu preciso dizer uma coisa...
-Sim.
-Você... –Hesitou Felipe. – Viu o novo layout do jornal?
-AH... sim.
-Se ela soubesse o quanto a amo... – Pensou ele.

Ela...
Se ele soubesse o quanto eu o amo... – Pensou ela.
- Você está bem?- Perguntou a ele.
-Minha vizinha insuportável fica zanzando de salto alto pra lá e pra cá todas as manhãs e ontem acordei irritado e fiquei bebendo o dia todo até a madrugada.
-Ai... Nem fala... Meu vizinho também aprontou uma dessas ontem...
-Hum... E você está com olheiras enormes! O que aconteceu?
-Como estava dizendo... Meu vizinho idiota pegou um DVD noite passada, aquele mesmo que eu te dei... Ficou bebendo e tocando guitarra suuuper mal a noite toda! Não consegui pregar os olhos.
-Espera um pouco... Você mora no Center Place?
-Sim. – Respondeu Sarah.
-No sexto andar?
-Sim.
-Apesar de você ser completamente irritante com aquele salto alto todas as manhãs as 5 em ponto... E apesar de eu não imaginar que você era minha vizinha... Eu me apaixonei completamente por você. Mas confesso... Se eu soubesse antes que você era minha vizinha, eu não queria ter me apaixonado.
-Hahaha. Se eu soubesse que você toca guitarra tão mal e se embebeda por qualquer motivo... Se eu soubesse que você era meu vizinho, preferia não ter me apaixonado.

Ele...
Eu a beijei!
Ela...
Que beijo!

Coisas do amor; ninguém consegue entender...
Cada louco com suas loucuras!


Read Users' Comments ( 0 )

Essa é pra você, amor!




-Tô passando mal

- Por quê? O que você fez?
- Nada não, só estou meio enjoada...
- Você não está grávida não, né?
- Ai que dúvida! Claro que não! Tá maluco?
- O que você tem então?
- Sei lá... Tenho cara de médica?
- Se alimentou direito?
- Uhum...
- Sei... O que você comeu?
- Que horas?
- O dia todo.
- Pipoca com calda de chocolate, sorvete com Coca-cola, Doritos, hambúrguer, milk-shake, brigadeiro com coco ralado, pizza de quatro queijos, um pacote de balas, pão com maionese e ketchup, miojo, e não lembro mais...
- E ainda não sabe por que está mal...
- Ah, mas nem comi!
- Me responde uma coisinha...
- O quê?
- Você tem um dragão aí dentro ou...
- Estou na TPM?
- Isso!
- TPM. Acho que vou para o banheiro.
- Tudo bem, demore o quanto for preciso!
- Nem pense em ligar o videogame!
- Ai amor...
- Se você ligar eu juro...
- Vem aqui vem, vou fazer um brigadeiro bem gostoso!
- Te amo sabia?
- Eu também minha dragonilda.


Read Users' Comments ( 0 )

Entre pecados e mais pecados...



É difícil escolher o pecado favorito sabendo que você é uma pecadora de primeira... Mas tentar não custa nada. Acho que pecar está em todos nós, é algo que sempre ocorre, diariamente. Mentir é pecado, no bom português ser “pão-duro” é pecado... Ter prazeres sexuais antes do casamento é pecado... Ver que sua amiga comprou o sapato que você queria, e você ficar se mordendo de inveja é pecado... Resumindo, sempre pecamos!
Mas confesso que o meu pecado favorito é a gula. Eu sou como a “Magali” da Turma da Mônica... Qualquer alimento que coloquem na mesa, eu como!
Simplesmente é maravilhoso sentir o gosto daquele macarrão que sua mãe faz com tanto amor e carinho para o almoço, ou aquela feijoada caprichada com um cheiro de ressuscitar qualquer morto; é delicioso aquele sorvete de chocolate com calda em cima... Que você saboreia na sobremesa.
E aquele hambúrguer super gigante que você come no Shopping quando sai com os amigos então? MARAVILHOSO!
Apesar de não ser gorda, eu como muito! Sou a legítima “magra de ruim” que as pessoas conhecem...
Mas sabem o que eu amo comer? Brigadeiro! Na verdade quem não gosta? Sinto-me uma criança muito feliz ao comê-lo, é uma alegria enorme que se aloja em meu coração, passando por meus sentidos, para cada parte do meu corpo... E fora que nos dias de TPM é a única coisa que me acalma...
Mas nada melhor do que jantar um pedaço de Lasanha, com muito queijo, daquelas de dar água na boca só de pensar, também sou meio “Garfield”, curto uma boa lasanha, com muito, mas muito queijo.
E no café? Um mega sanduíche com peito de peru, alface, tomate, ervilha... E o principal: Uma xícara de Capuccino!
Acho que quando estamos um tanto tristes, com problemas, devemos sentar e comer! Sim, comer! Pelo menos sempre me ajuda! Mas, quando estou nervosa... Não como nada!
A melhor parte do meu dia é quando acordo e vou reto a mesa para tomar um café, para almoçar, ou para jantar... Sentando-me na frente da TV, com uma bacia cheia de pipoca com calda de chocolate em cima e com uma coca-cola na mão!
Não poupo nada, alimento-me de frutas, verduras, carnes... Lanches!
Prefiro um super hambúrguer a uma simples saladinha... Não ligo para as calorias que o hambúrguer tem, talvez seja por isso que eu coma de tudo e nunca engordo.
Enfim... Comer pra mim é o melhor remédio! E aposto que não sou a única a pensar assim né? E você... Qual é o seu pecado favorito?


Read Users' Comments ( 0 )

“Querido Diário Otário”


Gente... Eu não responderei nesse find os comentários do post passado nem desse post que escrevi hoje, porque eu estou indo viajar... Mas segunda-feira, ou domingo á noite podem deixar que eu respondo Ok?
Beijos bom final de semana á todos!!!
Hoje estava lembrando de alguns anos atrás... Quando eu era o oposto do que sou hoje. Quando eu era somente uma pequena menina sonhadora, sozinha, sem amigos, e muito, mas muito tímida.
Lembranças e sonhos que ficaram... Realidades que invadem minha vida cotidiana, mas ainda sonhando... Porém sonhos mais concretos e fáceis de realizar.
Podem rir da minha cara, mas eu escrevia em um diário. Acho que não somente eu, mas tenho certeza que muitas meninas escreveram e ainda escrevem.
Por ser uma menina muito só e de difícil compreensão, eu escrevia e agora mesmo estava lendo coisas que passei...
Relatos e pensamentos de uma menina que queria tudo queria o impossível.
Muitas histórias tristes, felizes, sarcásticas, revoltosas... Os famosos “amores impossíveis” e os “amores platônicos”.
Melhores amigas que na verdade eram falsas... Brigas com um irmão chato, algumas notas baixas (eu achava que tirar 8 na prova era uma nota baixíssima, coisas de CDF mesmo). Brigas com meus pais, mudança de casa, de estado... De certa forma, foi tão legal reviver aqueles momentos...
Acho que recuperei uma parte perdida de mim mesma.
Sabem... Talvez eu fosse uma tola menina, escrever tudo o que você sente em simples linhas de um caderno? Para muitos isso não adiantaria! Mas para mim adiantou!
É tão bom lembrar de certas coisas... E agora fico pensando... Quanta coisa mudou de lá pra cá?
Troquei as velhas bonecas por livros, diários por blogs, roupas da Lilica Ripilica por roupas mais sérias, ou em muitos casos mais ousadas... Ah, fora a cor rosa pela cor preta, as sapatilhas doces e fofas por all stars, os desenhos do Tom e Jerry pelo Jornal Nacional, gibis da Turma da Mônica por Jornais da cidade... Músicas como as do grupo Rouge, Xuxa, Kelly Key, por clássicos do Rock...
As vezes eu lembro quando meus professores chamavam meus pais na escola... Não por eu bagunçar, ou por eu brigar com alguém, pelo contrário... Eles me achavam muito estranha, madura demais para minha idade, quieta, calada demais... E também muito educada... Era muito engraçado! Eles achavam que eu tinha algum problema em ser assim...
Aniversários passados, as famosas negras-malucas com muito, muito chocolate... que você se lambuza por inteiro né? Molho de cachorro quente por toda a roupa... Balões surpresas, super coloridos, onde você olhava direto para o presente da pessoa que vinha te abraçar hahaha, quando somos crianças... Somos assim.
Inocentes...
Tombos por brincar de pega-pega, fazer algo proibido, medo de dar o primeiro beijo e a mãe descobrir... Bilhetinhos mandados... Que saudade...
É tão bom voltar a lembrar de certas coisas... Coisas só suas, que apenas você vivenciou... Isso ninguém te rouba... É a tão famosa experiência...
Experiência? Eu apenas uma menina de 15 anos experiente?
Quem sabe... Experiência para mim, é tudo o que vivemos! Qualquer coisa que vivo e eu aprendo! E o principal, sempre tiro lições disso.
Quanta coisa muda ao longo dos anos... Mas se posso falar o que não mudou e nunca mudará em mim...
Será que sempre serei essa pessoa que fui e que sou... As tendências podem mudar, as idéias podem evoluir... Mas o coração de uma pessoa, a educação dada pelos pais... Jamais!

Viva, volte ao passado, várias e várias vezes se preciso... Lembre-se das coisas maravilhosas da sua infância, viva o hoje, o agora... Mas sempre tenha o brilho de sua criança interior... Brinque, sorria! Saia um pouco da seriedade do dia-a-dia...
Simplesmente seja feliz lembre-se da criança que existe em você... Dê um dia de liberdade a ela...


Read Users' Comments ( 0 )

Carnaval



* texto escrito há algum tempo...

Todo bom e velho brasileiro ama um feriado não é verdade? Ainda mais se tratando de carnaval. Ah, quem nunca vivenciou a época do carnaval? Mesmo não gostando, a grande parte das pessoas comemora ou um dia o comemorou.
Há quem goste de assistir a disputa das escolas pela televisão. Aqueles carros alegóricos lindos, caprichados, gigantescos... Trabalho de quase um ano. Temas dos mais variados, que nos deixam maravilhados olhando para a beleza do mestre-sala e da porta-bandeira rodopiando e esbanjando charme, beleza e simpatia pela Sapucaí. Ainda com a sincronia dos passos, coreografias muito bem ensaiadas e realizadas. Realmente um espetáculo e tanto que só nós brasileiros conseguimos demonstrar ao mundo a fora.
Aquela ginga, aquele molejo, o famoso samba no pé e o rebolado que só as brasileiras possuem.
Acredito que o carnaval é a época de sermos o que quisermos ser... Sem medo! Fantasiamo-nos, mudamos nossas personalidades rapidamente, não temos medo de brincar, de ser feliz... Voltamos a ser criança, a sorrir de verdade. Somos heróis, artistas, personalidades místicas e folclóricas, tudo vale, desde Super Homem a super Einstein...
E ainda podemos falar do famoso “amor de carnaval”, aquele menino ou aquela menina que você ficou no carnaval e que você jamais esqueceu. Aquele “amor” gostoso, de momento, descompromissado, mas que futuramente poderia virar um compromisso de verdade... Por que não?
Aquela magia toda, nossos corpos todos suados por pularmos, dançarmos, sairmos um pouco da rotina... Por simplesmente aproveitarmos um pouco a vida mesmo que seja apenas naquele instante.
E as marchinhas... Jamais esqueceremos destas que fizeram e fazem sucesso até hoje...
“Maria sapatão-sapatão-sapatão, de dia é Maria de noite é João”;
“Hei você aí, me dá um dinheiro aí, me dá um dinheiro aí”.
Acho o carnaval uma das épocas mais fascinantes do ano... Acho que até nossos olhos brilham mais, nossos corações se rejuvenescem, nossos lábios liberam gostosas gargalhadas sem medo da timidez.
Porém, esquecemos um pouco da verdadeira essência do carnaval. Pessoas acabam exagerando, bebendo em demasiada quantia e acabando com a alegria dos outros. E fora que muitas pessoas não se previnem e acabam tendo uma gravidez indesejada ou até mesmo AIDS. O carnaval de hoje é libertinagem pura, sem respeito algum... E isso é o errado. As pessoas não têm mais respeito para com as outras... Acham que porque é carnaval, podem fazer o que quiserem fazer sem medir conseqüências. E não é bem assim. Carnaval é bom, É SIM SENHOR! Mas com respeito, com maturidade... Não com total infantilidade com que as pessoas agem.
Não deixemos que a verdadeira magia do carnaval acabe, fazemos com que ela perdure sempre, com que nossos netos, bisnetos aproveitem isso que um dia aproveitamos...
Que eles brinquem, que aproveitem, que façam da vida uma verdadeira festa, não fugindo das devidas responsabilidades.
Brincar, curtir, dançar com responsabilidade é a verdadeira essência do carnaval.


Read Users' Comments ( 0 )


A verdadeira loucura é aquela normalidade na qual ninguém ao menos sabe a verdadeira concepção de normal.
Alguém entendeu isso? Acho que não...

LOUCA! SIM LOUCA! ESQUIZOFRÊNICA, MALUCA, BIRUTA!

Para muitos loucura é uma ofensa... Para mim não! PARA MIM É BEM MAIS QUE UM ELOGIO! Talvez devesse mudar o nome de meu blog de Princesa moderna, para Princesinha doida... É um bom apelido para alguém que rói unhas, coleciona etiquetas, alguém que lê 3 ou 4 livros ao mesmo tempo e que não termina nenhum deles...
Ou ainda que usa meia calça preta, com um bermudão jeans, sapatilhas brancas e camisete em cima da camiseta da escola, ah e fora que em cima da camisete tem um casaquinho de renda, de mangas curtas atado com uma fita de cetim enorme.
Isso é loucura? Não sei, mas se ser feliz e se fazer moda é ser louco, SIM EU SOU LOUCA E GOSTO DISSO!
Se ser louca é estar no ponto de ônibus ouvindo Guns n roses e cantando super alto e (errado) o inglês do Sweet Child O’mine para quem quer que seja ouvir... É, pode me internar...
Mas é isso mesmo, eu sou louca e tenho orgulho em dizer isso! Sabe o por quê?
Porque eu sou diferente dos outros... Eu tenho minha própria moda, meu próprio estilo de vestir... Pensar, agir... Meu próprio estilo de sonhar, de ver a vida...
A loucura em si é algo maravilhoso, ela te dá coragem, te deixa mais confiante, porque não ser louco um pouquinho? Se bem que eu já estourei minha cota de loucura...
Mas eu amo inovar e a loucura me proporciona isso. Qual o problema em ser maluco?
SOMOS TODOS MALUCOS! Só que algum idiota inventou a tal da “loucura” e a tal da “normalidade”. Mas o que seria a normalidade se ninguém segue um mesmo padrão de vida?
O problema é a sociedade em geral, que vê pessoas que tentam mudar as coisas, que tentam inovar, como meros loucos... Loucos como Shakespeare, Einstein, Newton... Que somente depois foram reconhecidos como gênios.
Sou louca e amo a loucura... Invento novas concepções a cada dia, a cada amanhecer, várias mulheres em uma única... Querer vivenciar cada dia como único é loucura?
Ser louco é amar, é se entregar de corpo e alma a alguém, a algum propósito. Ser louco é lutar por seus ideais, sejam eles certos ou não... Ser louco é fazer seu namorado (a) correr na chuva com você, em meio a todos e dar um beijo maravilhoso com a chuva escorrendo em seu rosto, é achar que tudo dura para sempre, mesmo sabendo “que o pra sempre, sempre acaba”. Ser louco é ir ao cinema e não ver o filme ficar olhando para a pessoa amada, dizendo o quanto ela é importante na sua vida. Ser louco é contar a história do seu amor na página do seu perfil no orkut. Ser louco é pedir uma pessoa em namoro por msn depois dos 15 anos dela por medo da concorrência.
É sair da rotina constantemente, é dar oi pra todo mundo que você não conhece na rua... É tentar andar de motocicleta mesmo não sabendo e o seu namorado pedindo para você acelerar menos e você acelerando mais... Sim, eu faço isso... Ou ainda ganhar um violão, ficar treinando durante meses uma música e no fim você descobrir que as notas estavam todas erradas e que você desafinou o violão. Mas mesmo assim você diz que toca...
Ser louco é ter manias... Dormir de meias em pleno verão, roubar beijos, se atirar no mar com roupa e tudo... É esquecer seu nome, é brincar de bonecas com uma prima pequena... Fazer greve por qualquer coisa, é sorrir sozinho, rir de seus próprios erros e tombos. É QUEBRAR REGRAS!
É acreditar, é sonhar, é viver!
Ser louco é ser filósofo, arquiteto, escritor, jornalista, desenhista, músico, poeta, dançarino... Tudo isso ao mesmo tempo. É querer o impossível. É estar preparado para o que vim, e enfrentar tudo sem medo, com muito humor e esperança...
Ser louco é ter experiências nas quais ninguém rouba, é ter idéias próprias, fazer a diferença, não esperar que alguém a faça. É dar conselhos de amor para sua melhor amiga mesmo você sendo um fracasso na vida amorosa.
Portanto viva, sonhe, seja louco! Faça loucuras! Fazer loucuras... Realmente não tem preço!
SOU LOUCA SIM! QUAL O PROBLEMA? JUNTE-SE A MIM... OU ME INTERNE!


Read Users' Comments ( 0 )

Eu durmo de meias todas as noites, sejam noites de verão ou de inverno.
Eu ainda escrevo em uma espécie de diário... Não do tipo “Querido diário...” Mas escrevo em forma de reflexões, de lições de moral.
Eu odeio pagode e funk!
Sou viciada em café!
Tenho uma TPM dos infernos! (mas se quiser me acalmar em dias de TPM, me dê uma barra de chocolate e está tudo resolvido).
Eu tenho medo de ficar no escuro, tenho medo de minha família morrer e me deixar aqui, sozinha.
Tenho complexo de inferioridade, sou insatisfeita com meu corpo, odeio usar biquíni.
Minhas bochechas ficam rosadas por qualquer coisa, amo all stars.
Odeio física, matemática, nem se fala... Gosto de geografia, mas as provas do professor são muito difíceis, e isso acaba me dando náuseas. Ah, odeio biologia também...
Não suporto ver sangue... Isso me deixa enjoada!
Gosto de comer um hambúrguer gigantesco, com muita maionese e catchup.
Amo usar vestidos, saias... Odeio usar short!
Sou tão infantil quanto você imagina. Só que eu sempre gosto de aparentar ser mais inteligente, ter mais cabeça e tals... Mas no fundo ainda sou uma criança indefesa, e o melhor é que tenho consciência disso.
Amo rosa vermelha, detesto rosa cor-de-rosa.
Odeio tirar fotos, dou risada por qualquer coisa... Estou em dúvida entre ser jornalista e escritora, ou ser designer de moda.
Odeio mentiras e pessoas falsas, principalmente injustiças. Sou maniática, perfeccionista ao extremo. Leio praticamente 24 horas por dia, os remédios que tenho que tomar, eu finjo que tomo e não tomo, porque são horríveis.
Amo quando meu pai volta de viagem, ele sempre me traz pastel assado, mas isso aumenta meu peso, então chego a conclusão de que não gosto tanto, mas gosto da presença dele.
Não suporto meus cabelos ondulados, queria ter cabelos lisos até a cintura, amo meus olhos quase pretos... Dizem que são verdadeiros e um tanto indecifráveis.
Não gosto de usar tênis com meia, e odeio usar calça de malha, minha bunda (desculpem o termo, mas se o texto é sobre mim, tem que ser verdadeiro e um pouco fora das normas...) já é grande, com aquelas calças aumentam.
Gosto de suco de laranja, de maracujá (pena que me deixa com mais sono ainda) e de morango. Odeio usar maquiagem! Na verdade até gosto, mas é que... Dá-me coceira nos olhos, me deixa agoniada, me prefiro ao tradicional...
Inimigos? Devo ter... BASTANTE! E quem disse que eu me preocupo com o que acham de mim? Eu sou assim e deu! Quer ser meu amigo? Junte-se! É mais um que me odeia? Bem vindo à lista!
Tenho ciúmes do meu irmão, tipo, das meninas que se aproximam dele... É que ele é tão lindo, e poxa, é meu irmão, não quero que nenhuma menina o faça sofrer.
Odeio quando alguém fala meu nome errado, ou me chama de Jhenifer Pollenta...
Sou gaúcha sim, e GREMISTA principalmente! Ta legal, o grêmio talvez não seja um bom time, mas e daí? Eu torço e deu!
Quando estou nervosa, eu coço a cabeça sem parar, parece que estou com piolho!
Ah, e quando estou envergonhada, eu começo a passar a mão na nuca. Quando algo de ruim acontece, me dá crise de riso! Sério mesmo! Principalmente quando alguém morre. Eu já fui ao médico e ele falou que era normal... Ok? Normal? Acho que não mas tudo bem...
Não assisto filme de terror! Eu durmo com o urso de pelúcia que meu namorado me deu.
Sou bruxa, sou princesa... Uma mistura das duas. Justa como uma princesa, mas brava e malvada como uma bruxa... Provoca-me para ver o que acontece!
Amo William Shakespeare! Ah, ainda quero ir a um Concerto! (aquele de música ta? Não o de consertar... Porque já me falaram que eu não tenho conserto!).
Sou um pouco ciumenta... Brava muito mais! Sou muito calma, mas odeio que mexam nas minhas coisas sem pedir...
Leio vários livros ao mesmo tempo e não termino nenhum. Odeio uma menina da minha sala... E eu acho que ela me odeia também. (que bom...).
Já quis namorar o Harry Potter, Homem Aranha, Edward Cullen, mas não troco meu namorado, Fernando Hoinaski, por nenhum deles.
Eu tenho lapso de memória hahahah
São tantas coisas, tantas loucuras que já cometi... Na verdade eu sou a loucura em pessoa. Há coisas que ainda preciso desabafar... Porém são coisas tão obscuras, tão dentro de mim... Que ninguém jamais entenderia.
Odeio usar notebook, prefiro meu pc! Eu tinha amigos imaginários.
Prefiro gatos a cachorros. Ainda não li o Pequeno príncipe. Chorei lendo a Bela e a Fera.
Já caí muito, meu vestido tomara que caia baixou na frente do pessoal do ônibus... Quase sempre caio na hora de passar a roleta...
Tenho um violão, mas só sei tocar bem, vamos ver... Nenhuma música, eu só arranho mesmo...
Todos os textos que é escrevo são sobre algo que vivi algo que sofri e que aprendi com a dor. Portanto se dou algum conselho, é baseado no que aprendi no que vivi.
Ainda vou ter uma biblioteca na minha casa, um lugar só meu! Com milhares de livros!
Quero aprender a plantar uma árvore. Quero uma casa com um balanço na frente.
E nos dias de chuva, quero ir direto ao mar e aproveitar a chuva e a água salgada.
Nem as pessoas que me conhecem há tanto tempo, seriam capazes de compreender-me.
Eu sou uma pessoa que nasci para ser complicada... Ninguém, até hoje conseguiu me desvendar. Sou um segredo sim!
Me defino como uma criança grande, cheia de sonhos, de planos... Muito maluca, feliz, mas que com o pouco que viveu, aprendeu e muito.
Tudo o que eu escrevi até agora, bem... Se você já me achava maluca, deve estar me achando muito mais! Mas é bom conhecer as pessoas como elas realmente são. Não o que aparentam ser. Muitas vezes, em meus textos eu aparento ser uma pessoa bem diferente do que eu descrevo agora. Não é verdade?
Como não tinha muito assunto para hoje, resolvi escrever um desabafo meu...
Espero que tenham gostado.
E se você me achou mais maluca ainda, por favor, manda um convite para ir a um psiquiatra? Hahaha.

Acho que estou precisando!


Read Users' Comments ( 0 )

Só hoje...


Só hoje e simplesmente hoje quero ser alguém comum. Quero acordar meio dia como qualquer outro. Ficar de pijamas o dia todo, e ainda tomar um maravilhoso café-com-leite preparado por minha mãe. Quero ser frágil como uma bailarina de vidro, quero que as pessoas cuidem de mim e que me dêem carinhos e abraços apertados.
Só hoje não quero seguir regras impostas, sejam elas por mim mesma ou por qualquer outro alguém. Podem ser as regras de ortografia... Hoje não quero regras! Vou quebrá-las... Pelo menos hoje, pelo menos agora.
Hoje, quero viver a vida de um modo simples e proveitosa que me deixe doces lembranças para que quando for adulta, consiga perceber que um dia aproveitei a vida ao meu modo.
Só hoje soltarei meus cabelos, colocarei uma roupa branca e leve e voarei com o vento.
Hoje... Quero ler vários livros ao mesmo tempo, reviver histórias, momentos só meus... Quero voltar a ser a criança que está escondida em algum lugar em meu coração.
Não quero ouvir ROCK (o quê? Eu realmente falei isso... Alguma coisa está acontecendo...) quero músicas calmas e doces que elevem meu pensamento ao amor e a sabedoria...
Só hoje, apenas hoje e simplesmente hoje, quero deitar em minha cama sem preocupação alguma e dormir... Adormecer como um anjo depois de brincar muito nos céus.
E no outro dia... No amanhã. Somente no amanhã... Quero estabilizar meus sonhos, minhas idéias e planos.
Irei acordar com o sol e da sacada observá-lo despertar, enchendo o céu com suas cores amarelo-alaranjadas. Quero nesse momento estar enrolada com meu cobertor, com uma xícara de café-preto bem quente, escrevendo a emoção verdadeira de estar vivenciando aquele momento.
Amanhã e somente amanhã, irei cuidar de mim como a pessoa mais importante do mundo. Vou criar coisas novas, fazer alguém sorrir, cantarolar canções doces e empolgantes... Lembrar do sorriso de alguém especial que me faz aprender a viver cada dia como um só.
E a partir do hoje, somente hoje... E a partir do amanhã, mas NÃO somente amanhã... Irei viver a vida como deveria viver. Encarando-a como uma amiga, uma velha conhecida de escola... Abrindo-me a oportunidades, abrindo meu coração ao novo, mas não deixando de ler páginas de meus momentos passados.
Quero que o hoje e o amanhã estejam juntos como irmãos... Que as coisas boas que eu realizar hoje, me dêem ótimos resultados amanhã. E que os erros que cometi hoje, que me sirvam como um aprendizado espetacular no amanhã.
Só hoje quero aprender a ser eu mesma para no amanhã não apavorar-me quando realmente aprender a viver.


Read Users' Comments ( 0 )

Desculpe, mas preciso ir

Deixe-me seguir sozinha por entre as estrelas e a escuridão que envolve a noite; pois só assim poderei caminhar com meus pés. E assim verás que já não tenho mais medo dos monstros que há lá fora e que estou pronta para viver. Mostre-me por onde seguir, mas não venhas comigo jamais. Deixe-me descobrir as possibilidades e aprender com os erros que cometerei, pois somente assim testarei meus limites e poderei ver até onde posso ir. Afinal o céu ainda é o meu limite.
E quando eu estiver cansada de caminhar, me deixe dormir entre as raízes das árvores e sentir o vento tocando meu rosto e as folhas caídas cobrirem meu corpo, pensamentos e lembranças, cegarem meus olhos.
Eu jamais estarei sozinha; mas preciso da solidão para aprender. Preciso ficar comigo mesma, ouvir minha respiração, sentir as batidas de meu coração.
Não irei longe, apenas tenho que ir. Andar com minhas próprias pernas. Talvez não seja fácil, talvez eu me machuque... Mas e quem disse que para vencer não é preciso sangrar e chorar certas vezes?
E quando chegar ao topo daquela montanha e vir a lua e as estrelas mais perto ainda, e a cidade pequena... Verei que os machucados não foram em vão e certamente lembrarei de vocês.
Mas por favor, apesar de tudo... Deixem-me ir.


Read Users' Comments ( 0 )

“Ser ou não ser? Eis a questão.”
Confesso que essa clássica frase de Shakespeare, que por sinal é meu autor favorito, fez-me refletir um pouco.
Somos...
Na verdade o que realmente nós, seres humanos somos?
Somos o que sentimos? O que fazemos? O que julgamos o que aparentamos o que vivemos?
Somos, e simplesmente não sabemos ao certo o porquê de sermos... Apenas somos...
Somos experiências, rugas, idade, dores no corpo, sorrisos, lágrimas, saudade...
Somos um conjunto, um aglomerado químico, físico, psicológico, problemático...

O que somos afinal? O que você acha que é? São apenas perguntas simples, para respostas um tanto complexas...
Somos e não sabemos o porquê, somos o que queremos?
Somos sem nem ao menos querer ser...Somos obrigados a ser quem somos?
Somos a cada instante, a cada piscar de olhos, a cada nascer de um novo dia...

Na verdade, acho que não importa o que somos o porquê somos, o que seremos no futuro. O que realmente importa, é que nós sempre fomos, somos e amanhã de um modo ou de outro ainda seremos. Acho que o verbo SER é o mais importante.

Somos os sonhos trancados em nossos corações, somos a angústia, a curiosidade em pessoa. Vai dizer que o ser humano não é curioso, pelo menos todos nós somos um pouco investigativos, temos a vontade de descobrir, de saber.

Somos loucos, inconseqüentes, patéticos. Somos errados, em ética, somos corruptos, invejosos, capitalistas, consumistas, egoístas.
Somos e não somos, temos o que somos...Somos o que temos?

SOMOS O QUE TEMOS?

Damos tanto valor aos nossos bens materiais... Nossa casa, nosso carro, nossas roupas de marca, nosso dinheiro...

Muitas vezes esquecemos do que realmente somos, acredito eu, por culpa de nossa sociedade, esta que nos impõem limites, onde o TER e o LUCRAR é o mais importante, ela não nos ensina a dividir, apenas a somar. E por fim acabamos perdendo nossa própria identidade.

Sabem porque todos somos um pouco ou totalmente assim?

Respondo da maneira mais simples do mundo:

SOMOS SERES HUMANOS, aqueles que não se contentam com nada, que só pensam em evoluir, que querem cada vez mais e mais, não importando o que aconteça com nossa natureza, com os indivíduos ao nosso lado.

Talvez, eu tenha falado, falado, falado e você ainda não tenha entendido, mas é apenas uma forma de fazer você pensar em quem você realmente é, em quem você quer ser, e no que seus filhos serão.

Você é um ser humano com sentimentos, ou o que você tem?

O problema é que o dinheiro é uma espécie de droga, você começa a experimentar, e aí vai gostando, querendo cada vez mais e quando vê, você já está tomado por ele.

Muitas vezes não damos valor ao que somos, as pessoas que estão ao nosso lado, preferimos o dinheiro, preferimos crescer na vida ao invés de aproveitar cada minuto vivido.

Reflita.


Read Users' Comments ( 0 )

Mães e filhas




Bati a porta e simplesmente saí correndo. Peguei minha mala e “desapareci”, afinal era isso o que mais queria no mundo. Sair daquele ambiente que me deixava sufocada. Já não agüentava mais brigas, não agüentava discutir todos os dias e ficar sem falar com ela. Quem estava errada? Ela ou eu... Não importava! Queria sair daquele lugar o quanto antes possível.
Já havia alugado um apartamento. Iria morar sozinha... Estava trabalhando e ganhando um salário razoável; daria para viver bem por alguns meses.
Fui reto ao meu novo “lar”, era uma sensação incrível... A sensação da liberdade. Poder comer o que quisesse, dormir a hora que bem entendesse, seria maravilhoso.
Sentei-me na sacada e fiquei olhando para as estrelas. Meu apartamento estava todo bagunçado; cheio de caixas e roupas espalhadas pela cama.
Logo veio a saudade. Saudade do café-com-leite que só ela sabia preparar... Do cheiro de casa limpa, ou o cheiro da velha comida caseira e saborosa.
Continuei a olhar para as estrelas e lembrei-me de minha infância. De como eu era o motivo de orgulho dela. Das vezes em que esta me contava histórias ou quando me abraçava enquanto chorava de tristeza.
Sem mais nem menos, peguei meu sobretudo, calcei minhas botas, arrumei meu cabelo e saí... Não sabia para onde, nem quando eu chegaria ao lugar, mas meu coração dizia que eu precisava ir.
Segui o rumo dele e sem pensar bati naquela porta. Estava uma chuva horrível lá fora. Ela abriu e sorriu. Abracei-a com toda a força existente no mundo.
-Mãe, não importa quem está certa, quem está errada... Desculpe-me se errei, mas eu só quero que saibas que mesmo eu ficando brava com certas coisas, você é a melhor mãe do mundo e eu te amo.
Senti suas lágrimas quentes escorrerem por seu rosto sonolento.
-Também te amo filha. Sabia que voltarias. Rezei muito para isso acontecer. Senti sua falta.
E então eu entrei e ficamos abraçadas na cama junto com meu pai e meu irmão, comendo chocolate e assistindo filme.
Coisas que apenas mães e filhas entendem...


Read Users' Comments ( 0 )

Para todos os meus amigos, com amor

Aqueles que pegam no seu pé depois de ter ficado com o garoto mais nerd e feio da escola ou atrás da igreja.
Aqueles que a colocam em uma rodinha e brincam de verdade ou consequência e fazem você contar os piores segredos do mundo, ou ficar com o carinha que está a fim de você.
Amigos da cachaça, que fazem você tomar o primeiro porre implorando que a levem para casa, e eles cuidam de você, afinal... Para isso que servem os amigos.
Sejam virtuais, sejam aqui do meu lado, sejam a mil km de distância. O importante é que você sabe que sempre vai poder contar com todos eles se um dia precisar.
Há amigos que deixam saudade, saudade até mesmo das brigas, dos cochichos, dos bilhetes da sala de aula, ou simplesmente de um colo, de um ombro, de uma tarde com brigadeiro, pipoca e filmes de amor.
E as confissões em uma noite de pijama, gargalhadas, pintar de batom aquele que dormiu primeiro comer pizza, lasanha, hambúrguer, CHOCOLATE!
Um dia uma amiga minha perguntou o que eu lembrava da época em que ainda morava no Rio Grande do Sul (eu sou gaúcha, acho que não contei esse detalhe) e se tem algo que posso dizer... Foram os melhores doze anos da minha vida!
Aprendi que a distância não é absolutamente nada comparada a uma amizade. Tenho todas as cartas, as fotos, as lembranças da despedida. Tudo guardado e um monte de emoções dentro do meu coração.
Ser amigo é muito mais do que fazer a metade da pizza sem chocolate para o outro amigo que não pode comer chocolate poder saborear. Ou comer duas caixas de bis juntas no ponto de ônibus por causa da TPM.
Dos meus amigos posso tirar escritores, modelos, professores, administradores e até advogados. Claro que cada um vai ter um caminho diferente, mas não impede que um dia, quando todos tiverem uma família, olhamos e falamos: - Esse cara é meu amigo e eu tenho orgulho disso. Ou... – Olha lá a tia na TV, depois vou mostrar as fotos que temos juntas.
O importante mesmo é que as lembranças e os sentimentos são mais valiosos e mais importantes que tudo, até mesmo que o dinheiro e a fama.
Ter alguém para abraçar, para sorrir, para ser feliz... É a maior honra do mundo.
Agradeço pelos momentos e por tê-los comigo até hoje e saibam que eu sempre fui uma amiga de verdade e que sinto muita falta de alguns.
Obrigada pelas situações engraçadas, pelos abraços, pelas horas de lazer, pois isso tudo me dá inspirações para escrever e ser uma pessoa feliz, pois eu sei o que é ter um amigo e como é bom ter amizade.
Feliz dia do amigo, meus amigos!


Read Users' Comments ( 0 )


Depois do massacre na escola do Rio de Janeiro comecei a pensar sobre a profissão que daqui a dois anos exercerei de verdade.
Dizem os estudiosos, os professores e experts no quesito “jornalismo” ou “comunicação” que o jornalista ou o comunicador, como queiram, não deve se envolver com a notícia.
Até aí tudo bem... Aprendemos na Faculdade um modelo de Jornalismo, e levamos adiante até os dias de hoje. Dizem também, que devemos levar a realidade ao público, fazer com que os leitores ou espectadores sintam a notícia, que devemos escolher entre a razão e ver que a notícia não é só o relatar de um fato, mas que ela também é um produto a ser vendido. Mas que mesmo levando a “realidade”, mesmo usando a banalidade e que não podemos nos envolver ou interferir no ambiente noticiado.
O problema é que quem quer ser jornalista mesmo, arregaçar as mangas e trabalhar, ao fazer uma notícia, tenta veicular o conteúdo com maestria, não consegue desvincular todo o seu emocional.
Não é fácil você entrevistar mães chorando pela perda de um filho e ter que retratar aquilo para milhões de pessoas. Devo confessar que o motivo desse texto tem a ver com algo que me deixou um pouco estranha hoje.
Estava no ônibus indo para minha casa depois de um dia maravilhoso, e lendo um livro comecei a analisar o burburinho que se formava.
Era um acidente. Comecei a escutar atenciosamente cada fato, cada descrição, a expressão das pessoas, o trânsito completamente parado na BR e comecei a questionar as pessoas sobre o tal acidente do dia.
Um motoqueiro cortou a frente de um caminhão que se desgovernou, caiu sobre uma tubulação de água que abastece quase toda Grande Florianópolis. O homem que dirigia o caminhão faleceu afogado devido à pressão da água vinda do tubo.
“Digeri” a notícia como um estudante de jornalismo faria, agi com total “frieza” apesar de saber que o fato não deve ser levado a esse ponto. Comecei a pensar em como poderia construir uma notícia e aquilo foi tomando conta de minha cabeça até que minha avó liga para meu celular.
O trânsito estava completamente parado, e ela começou a perguntar se eu estava muito longe de casa. Eu respondi que sim e então ela disse que era devido ao acidente estrondoso que teve. Algo que eu já sabia, mas ela disse uma informação a mais, quem estava no volante e que havia falecido. Um amigo da família, pai de uma grande amiga minha.
Nesse momento minha veia jornalística, a notícia que estava construída em minha mente se desmanchou, um sentimento de dor e angústia tomou meu corpo de uma forma que eu fiquei paralisada, sem pensar, em entender, apenas ali, sentada ouvindo.
Não foi fácil ver a notícia na internet, na TV, porque eu tenho vínculos com a notícia, não foi fácil analisar o jornalista ao passar a informação, sendo que eu não estava prestando atenção nisso.
O jornalismo acaba sendo uma profissão difícil quando temos algum tipo de vínculo com o fato, seja esse vínculo direta ou indiretamente.
E o que me deixou mais intrigada foi o que meu professor disse na noite de ontem.
“Será que não está na hora de fazer um Jornalismo diferente?”
Talvez seja a hora de mudarmos nossos parâmetros e percebermos que um jornalista não é um computador ou uma máquina que sintetiza. Somos comunicadores com carne, osso, coração e seres emocionais e racionais. Será que não está na hora de abandonar um pouco as fórmulas ensinadas na Faculdade? Afinal, que tipo de comunicadores estamos formando?

Talvez eu não sirva para ser jornalista, ou talvez, eu só tenha medo de me tornar ainda mais gélida com o tempo devido a minha profissão.


Read Users' Comments ( 0 )

Isso é essencial para sobreviver. Não julgue um livro pela capa, julgue pelo conteúdo, depois de conhecê-lo e ainda assim, dê segundas chances. ;)


Read Users' Comments ( 0 )


... LEMBRE-SE!

"A quem gosta de conversar com os outros sobre seus problemas, um lembrete: 80% dos que escutam seus problemas NÃO ESTÃO NEM AÍ; e 20% FICAM FELIZES POR TU TER PROBLEMAS!"

Aí fica dica: Pense bem para quem você vai contar os seus problemas; não fique se abrindo a qualquer pessoa. Se não há uma pessoa especial na sua vida, conte para sua melhor amiga; se você tem um(a) namorado(a), conte para essas pessoas, se você têm problemas com essas pessoas, já diria a minha mãe: "Conte para sua mãe ou para o seu travesseiro" que você não perderá seu tempo..

E os conselhos então? São válidos quando dados e recebidos de coração!




Read Users' Comments ( 0 )

Antes que... Você peça...


... SINTA-SE!

Gere realidade: "... Eu agradeço a você..." não diga: "... Gostaria de agradecer vocês..."

Com isso alguma coisa acontecerá no Universo. Vamos maquiar nossa timidez ao falar, sermos concretos ao pedir e ter atitudes em nossos desejos e ambições.

Seja convicto em suas solicitações. O UNIVERSO ESTÁ A NOSSO FAVOR!

Vamos brincar um pouco para quem sabe aprender a pedir alguma coisa e ter resultados positivos? Li isso em um livro e achei legal, pode ser aplicável e surtir bons efeitos.

Vamoss láááááááááá!

Pense em uma cena (já ocorrida ou imaginária) em que você está fazendo uma solicitação, pedindo alguma coisa a outra pessoa (vamos, isso já aconteceu várias vezes e vai acontecer muitas outras, é só você me ajudar pra ser legal). Feche os olhos um pouco e visualize a cena, com a outra pessoa na sua frente... (estou dando o tempo pra você imaginar, depois vou continuar escrevendo e você, lendo...)

Conseguiu visualizar?

Então mentalize de novo, mas agora, na imagem, saia de onde você está e observe a cena dos dois interlocutores - Você e a outra pessoa. Se você imaginar assim, vai poder ver o contexto, seu rosto, seu olhar, posição das mãos, toda a forma do teu corpo.

E aí? Como você se comporta fazendo uma solicitação? Foi convicto a forma que você pediu? Você acredita no que está pedindo e mais, acredita que vai obter o que você quer? A outra pessoa acredita em você?

Neste breve exercício você pode ser o observador de você próprio. Sua inteligência interpessoal (inteligência que você apresenta quando conversa com as pessoas, por exemplo) aumentou quando você pode se observar, se você começar a praticar mais isso, se ao pedir estiver convicto para ter o que quer, seu psicológico aumentará e o seu poder pessoal ficará um arraso para expor o seu "poder externo".

Bom, pode não ter sido um exercício que você tivesse que colorir ou responder a um teste, mas você conquistará mais o seu Universo ao fazer algum pedido, tente e ...



...ACREDITE! =)




Read Users' Comments ( 0 )

Conversei com a Débora...


Débora do nada chega e me diz:
- Karen?
Eu que sou uma pessoa bem social digo:
- Hã?
-Você sabia que o nome do Pato Donald é Donald Fauntleroy Duck?
-Não! Não sabia!
-Pois é...
-Kareeen?
-Hããã?
-Você consegue limpar sua orelha com a língua?
-Claro que não né Débora! Quem é que consegue?
-Uma Girafa! *-*
-Nossa! Que legal né?!
-Aham!
-Então ta, to indo ta?!
-Não antes deixa eu te dizer que as formigas se espreguiçam pela manhã quando acordam!
-Débora...
-Mas Karen... Posso te fazer uma pergunta?
-Faz! (eu já meio sem paciência...)
-Sua escova de dente é vermelha ou azul?
-Vermelha.
-Huuuuummm!
-Porquê?
-Por que as azuis são mais usadas que as vermelhas.
-Mais alguma coisa?
-Sim! Os porcos podem se queimar no sol e depois, só com os homens que isso acontece. E mais; NINGUÉM consegue lamber o próprio cotovelo pois é impossível toca-lo com a língua, sabia?
-Pior que essas eu sabia, já até tentamos lamber o cotovelo, lembra?! Hahahá...
-É... hahá... Mas garanto que essa você não sabe!
Nessa hora, eu já estava sentada olhando com cara de sono pra ela, mas ela não parava...
-Os golfinhos dormem com um olho aberto, As unhas da mão crescem aproximadamente quatro vezes mais rápido que as unhas do pé, “J” é a única letra que não aparece na tabela periódica, Os chimpanzés e os golfinhos são os únicos animais capazes de se reconhecer na frente de um espelho.
E ela não parava...
-Débora! Débora? Débora! PARA!
-Karen, você está com sono?
-Um pouco Débora...
-Coma essa maçã. Ela é mais eficaz que um café pra manter acordada sabia? E não queria te perder tão cedo, afinal de contas, vou viver mais nove anos do que você, pois sou destra e os destros vivem mais que os canhotos...
MEU DEUS, APRENDI UM MONTE!

O BLOG dela é um choque de Cultura... http://variandotemas.blogspot.com/

texto original do Blog da Débora 


Read Users' Comments ( 3 )


... LEMBRE-SE!

"A quem gosta de conversar com os outros sobre seus problemas, um lembrete: 80% dos que escutam seus problemas NÃO ESTÃO NEM AÍ; e 20% FICAM FELIZES POR VOCÊ TER PROBLEMAS!"

Fica a dica: Pense bem para quem você vai contar os seus problemas; não fique se abrindo a qualquer pessoa. Se não há uma pessoa especial na sua vida, conte para sua melhor amiga; se você tem um(a) namorado(a), conte para essas pessoas, se você têm problemas com essas pessoas, já diria a minha mãe: "Conte para sua mãe ou para o seu travesseiro" que você não perderá seu tempo..

E os conselhos então que recebemos ou até mesmo que damos quando estamos ou não estamos nem aí pra o que o outro diz? São válidos quando dados e recebidos de coração!



Read Users' Comments ( 0 )

Lavanderia, o acessório da vez

Junto com a música que embala os que não pensam direito, quer dizer, a galerinha da atualidade, veio as roupinhas coloridas, com muito brilho, muito estilo (e diga-se de passagem, lindas como o FELIPE BUENO)

Mas imagine você estar comendo aquele hotdog cheio de molho de tomate, super gostoso, com aquele super copo de coca geladinho cheio de gelo...
Mas imagine mais: Você fazendo tudo isso com aquela roupa linda que você comprou com muito sacrifício, você lá super gatinha comendo seu dog, quando se aproxima aquele príncipe da escola, com a turma dele; O que você faz gata? Claro, dá um mordida no seu dogzão e depois um gole de coca pra ficar bonita e fingir que não está nem aí pra ele... Foi o que você fez! Mas olhe, sua jaqueta azul céu com sol e sem nuvem, está com uma mancha vermelha terrível, mas que merda não?! E a coca? Mas que coca se ela está toda virada na sua calça laranja como a camiseta da Holanda ou aquelas canetas coloridas. Mas isso realmente é uma merda ao quadrado né amiga?! E agora????

Agora você liga para a lavanderia mais perto da sua casa. Se sua mãe for lavar, é claro que ela vai usar alvejante com cloro e mais certo ainda vai ser a mancha branca que vai ficar no seu lindo jeans laranja, então mande sua roupa pra Dona Maria, ela sim sabe o que fazer, a melhor lavanderia da cidade e vai tirar essas manchas horrendas da sua roupa. Vá lá, ligue pra ela garota! Vai dar tudo certo bealifulzona!
Viva a Lavanderia da Dona Maria.

Ps: Dona Maria, te amo, obrigado por tudo, principalmente por ter tirado aquela mancha de corretivo da minha camiseta verde limão, sem ela, não sou nada!

♪ Who o ow
Who o o o ow



Who o ooo

Ye ye yeah ♫


Read Users' Comments ( 6 )


... É SÓ UM COMEÇO! =)



Read Users' Comments ( 0 )

Era a minha vez de entrar...

... estava com medo, lembrava que a partir dali minha vida seria diferente. O que meus pais iriam falar? Iam me chamar de irresponsável para baixo, seriam capazes de me tirar em casa. E meu namorado? Que sempre cuido muito para que isso não acontecesse, mas eu quis e vou arcar com as consequências e mais: eu vou ficar com ele custe o que o custar.
Já era quase 16:00 horas e sai de casa ás 10 da manhã, meu celular estava desligado pois, não queria que ninguém me enchesse o saco. Fui até a casa da minha melhor amiga, ela sabe muito bem como é isso. Passou por isso não faz nem um mês e agora sou eu! Conversamos e ela me apoiou e me aconselhou a ir pra casa e conversar com todo mundo lá...
Caminhei até a minha casa desesperada, minhas mãos suavam, eu suava frio, tremia muito. Ficava pensando como seria a reação de todo mundo do pessoal da minha rua (oh bando de fofoqueiros!), meus colegas de faculdade (esses notam tudo, acho que por isso escolheram ser jornalistas!) e até mesmo da turma de inglês que vejo uma vez na semana (mas falam um monte), TODOS IRIAM PERCEBER!
Cheguei em casa. Esperei meu irmão entrar em casa, logo depois foi a vez do meu namorado. Acho que agora é minha vez de entrar em casa. Abri a porta lentamente, podia ver meu pai ao lado do telefone ligando certamente para o meu celular, minha mãe caminhando de um lado para o outro e meu namorado e meu irmão jogando uma partida interminável de Guitar Hero e eu ali na porta, com aquela cara de... De sei lá!
Todos ficaram aliviados ao me ver, meu namorado me beijou e meu pai logo perguntou:
- Onde você estava minha filha? Estavamos preocupados com o seu sumiço...
Minha mãe, que pode notar qualquer coisa a metros de distância já foi dizendo:
- Oh não! Não acredito!!! Depois de tanto que eu te pedi pra você não fazer isso...
E eu, sem mais que disfarçar digo:
- SIIIM! EU COMPRE UM NOVO ALL STAR! NÃO AGUENTEI, FUI LÁ, EXPERIMENTEI, GOSTEI E COMPREI! PRONTO!
Mas uma coisa é certa: ELE É L I N D O!
Poxa e o meu estava velhão, bem bem fud... ruim... (sendo que esses são os bons né, mas tem que comprar um novo pra ficar velho, tentem entender!

Aiii que alivio ter falado isso!



Read Users' Comments ( 1 )