Amigos e outras cositas más...

Eu estava numa “Deprê”, vocês podem até achar que minha vida é um mar de rosas, que eu sou “sortuda”, que não tenho do que reclamar... E talvez até seja.

O problema é que quando estamos assim não adianta somente conselhos, você precisa de colo!
Era uma noite fria de abril. Uma semana corrida, chuvosa, e eu com a maldita TPM de sempre.
Sabe, essa semana muita gente tentou me colocar lá em baixo, sem ao menos eu entender o porquê. O QUE EU FIZ? Gente, eu não sou uma menina invejosa, tento ser educada com todos, tento ajudar as pessoas... Tudo bem; tenho defeitos, mas QUEM NÃO TEM? EU NÃO SOU PERFEITA.
Não consigo entender as pessoas ainda... Ás vezes tenho medo, medo do que possa acontecer no futuro... Se só escrevendo como estou já sou alvo de inveja, imagina depois? Tenho medo da mente humana, de suas mãos e palavras que tanto podem ferir, quanto mentir.
Eu nunca fui muito bonita, sempre fui encolhida num canto, tímida, mas sempre me dei bem com as palavras. Eu nunca me achei bonita, nunca acho o que eu faço bonito, é algo lá dentro de mim que aconteceu na infância. Modesta? Não... É complexo de inferioridade mesmo.
E eu sempre fui muito certinha, nunca gostei de brigar com ninguém; e quando fico brava apenas fico quieta e me retiro. Mas acho que como uma estudante de jornalismo, eu acabei mudando um pouco. Hoje não fico quieta, mas não deixo de ser educada.
Algumas pessoas essa semana me feriram fundo, pessoas que nem conheço que simplesmente me adicionaram no ORKUT e disseram coisas que nem pessoas que conheço há anos, falariam desse jeito.
EU TENHO CULPA DE ESCREVER “BEM”, COMO TODOS FALAM?
EU TENHO CULPA DE GOSTAR DE FOTOGRAFAR? EU TENHO CULPA SE ME ESFORÇO PAR A SER UMA ÓTIMA PROFISSIONAL? Acho que não. Eu sou uma pessoa comum; também falo palavrão, também dou risada, brigo, faço no banheiro a mesma coisa que vocês... Eu não sou uma princesa; sou uma menina pobre, que luta muito para ter seu trabalho reconhecido, e quem disse que riqueza compra tudo?
Não gosto de me aparecer com meus “dons”, se escrevo é por gostar de escrever, não por querer aparecer. ISSO JAMAIS! Ultimamente tenho postado sobre pessoas que conheci, mas não estou me achando com isso, e sim compartilhando minha alegria.
E respondendo as críticas...
Eu GOSTO DE SER QUEM SOU! SÓ TENHO 17 ANOS, Posso não ser magérrima, posso não ter um metro e setenta, posso não ter um cabelo lisinho e posso não andar direito de salto alto... Continuo tenho um metro e sessenta, vestindo 38, tenho cabelos levemente ondulados e usando All star.
MAS ESSA SOU EU! Posso ser feia, posso ser bonita, mas, por favor... Respeitem-me!
Eu não sou uma modelo norte-americana, eu sou a legítima mulher BRASILEIRA. Com curvas, bumbum e coxas.
Desculpem pelo texto, talvez raivoso... Precisava desabafar, pois estou cansada disso.
Bem, continuando... Quando estamos assim, nada melhor que amigos. Acho que esse texto é para duas pessoas especiais, dois amigos. Um foi meu colega ano passado, e somos muito amigos... O outro, mesmo não conhecendo me ensina muito, digamos que horas somos professor e aluna, horas somos amigos num barzinho tomando coca-cola e filosofando.
Acho que se eu não tivesse a ajuda deles, eu não teria me visto com outros olhos... Acho que eu não pegaria uma colher e um espelho.
Lições para hoje? Inúmeras! Reconhecer o que eu sou, não me rebaixar para qualquer um, olhar no espelho e agradecer por ser assim, por ter um corpo sadio, por ter amigos e pessoas que gostam de mim de verdade.
Galera que sente inveja de mim, não sinta... Eu já disse, sou uma pessoa normal e vocês não vão querer ser quem eu sou, podem ter certeza disso! VOCÊS PODEM SER MELHORES A CADA DIA!
Beijos


0 comentários:

Postar um comentário